A Casa e a Mesa de Monet

Um passeio pelos jardins e pela casa onde Claude Monet pintava e recebia convidados para refeições mais que especiais

Certamente você já ouviu falar em Claude Monet, nos jardins de sua casa e em suas famosas obras como Les Nymphéas, mas o que muita gente não sabe é que para a gastronomia, o pintor também foi um mestre. Gostava de boa comida e dominava a arte de receber à mesa com produtos de muita qualidade.

Foto: Ariane Cauderlier

Situada a cerca de uma hora de Paris, Giverny abriga a casa onde Claude Monet viveu com sua família e pintou por 43 anos. A casa pintada com as cores da paleta do próprio pintor foi classificada como monumento histórico da França em 1976 e é cercada pelos incríveis jardins repletos flores, lagos, canais e pontes que inspiraram as obras de Monet.

Claude Monet e sua segunda esposa Alice se estabeleceram na casa rosa de janelas verdes em 1883, com seus oito filhos. O casal apreciava a boa comida e sua casa foi palco de muitos encontros que reuniam desde interessados em comprar sua arte, até políticos e amigos artistas, como Renoir e Cézanne, que eram convidados frequentes. Todos sempre recebidos com boa comida.

Monet tinha um paladar exigente e sabia como poucos plantar e colher os melhores ingredientes, mas ele não cozinhava. Este talento com as panelas era de sua cozinheira Marguerite, que dominava desde preparos simples à pratos bastante elaborados. As receitas transmitidas por ela, por amigos e restaurateurs com quem convivia Monet foram escritas com cuidado em papel ao longo dos anos em um valioso caderno de receitas.

A mesa de Monet era exatamente como suas obras, de uma aparente simplicidade, mas de execução minuciosa e difícil. As receitas revelam não só a qualidade dos produtos e a complexidade dos pratos servidos na casa dos Monets, mas também a sua verdadeira arte em viver e bem receber.

Ao passear pela casa podemos ter uma idéia da atmosfera em que aconteciam estes encontros em torno da boa mesa.

A Sala de Jantar

A sala de jantar onde Monet costumava receber seus convidados tem um tom de amarelo vibrante que vai dos móveis, às cortinas e paredes decoradas com gravuras de artistas japoneses como Hiroshige, Hokusai e Utamaro.

A mesa, com 12 cadeiras na foto, poderia acomodar até 14 comensais. Monet e Alice tinham dois jogos de porcelana, ambos desenhados por Monet. O primeiro, com motivos japoneses, era usado no dia-a-dia. Em ocasiões especiais a mesa era posta com a louça de cor amarela com bordas azuis, mais sóbria e clássica, especialmente quando os convidados vinham do Japão e poderiam estranhar o excesso de decoração na louça. Completavam a mesa talheres de prata com cabos de marfim, toalhas de linho branco bordadas e cristais delicados.

 

 

 

 

A Cozinha

Logo ao lado da sala de jantar, encontra-se a magnífica cozinha, revestida de azulejos de cerâmica azuis de Rouen. Monet planejou estas cores para a cozinha para promover ao mesmo tempo contraste e harmonia com o amarelo da sala de jantar. Este azul das paredes com o calor dos utensílios em cobre pendurados nas paredes e colocados sobre as bancadas e prateleiras dão uma atmosfera aconchegante ao ambiente. Na cozinha encontra-se também uma grande pia de pedra onde não só eram preparados os vegetais, mas também os buquês de flores, sempre presentes nas mesas. O imenso e imponente fogão à lenha é um espetáculo à parte e fica ao lado da porta que dá acesso ao jardim.

Por esta porta chegavam facilmente à cozinha todos os produtos da espetacular horta, onde eram plantados vegetais de diversas partes do mundo. Quase tudo o que ia à mesa dos Monets era produzido ali mesmo, inclusive ovos, galinhas, patos e peixes pescados nos rios e riachos da redondeza. E o mais importante: cada produto era consumido na sua estação. Somente produtos mais raros vinham de Paris ou de outras regiões.

Para os amantes das artes e do savoir vivre, a Casa e os Jardins de Monet são uma visita obrigatória para quem vier à Paris e puder escapar um dia para Giverny.

Para saber mais…

Dois livros incríveis revelam os segredos da cozinha e da hospitalidade de Monet:

Em português:

À mesa com Monet

Claire Joyes (traduzido para o português por Ana Maria Sarda e Maria Cecília d’Egmont)

Ed. Sextante

 

Em francês:

Les Carnets de Cuisine de Monet                           

Claire Joyes

Ed. Chêne

Recevoir selon MonetLes recettes d’un maître                                                               

Florence Gentner | Francis Hamond

Ed. Chêne

 

 

SIGA O GASTRONOMOS E TRAGA A GASTRONOMIA FRANCESA PARA O SEU FEED
 FACEBOOK
 INSTAGRAM