Chinon : parada obrigatória de qualquer roteiro de enoturismo na França

Mergulhamos na história dessa cidade medieval do vale do Loire através de uma degustação vertical de mais de 100 anos

Pouco conhecida dos brasileiros, Chinon é uma bela cidade medieval situada no coração do Vale do Loire. Além de ser uma importante denominação de origem dos vinhos franceses, é uma cidade extremamente charmosa que se encontra em uma região que é patrimônio mundial da UNESCO e que alia história, gastronomia e enologia.

Fomos convidados recentemente para uma degustação de vinhos tinto de Chinon. Essa degustação foi uma ótima oportunidade para conhecermos melhor a região, que por sua beleza, história, vinhos e gastronomia, deveria fazer parte da sua próxima viagem à França!

Patrimonio mundial da UNESCO
A região onde se encontra Chinon está inscrita na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO desde 30 de novembro de 2000. O rio, as suas margens, o centro histórico das cidades, as aldeias e os locais notáveis oferecem uma excepcional densidade de património natural e cultural. Ao longo do rio encontramos uma herança arquitetônica rica em história. Cidades antigas, castelos e abadias se misturam harmoniosamente com uma paisagem natural preservada. Uma região de beleza única há menos de 3 horas de Paris.

Localização e história
A localização geográfica de Chinon é excepcional e é o principal fator que levou a escolha desse local para a criação da cidade. Além da proximidade com Orleans e Paris, a cidade se situa à beira de um grande rio, o Vienne, que liga a região até a costa atlântica. Ao lado do rio encontra-se uma colina de pedra calcária com declives acentuados onde era fácil implantar um castelo naturalmente fortificado. Ali foi construída a fortaleza de Chinon. Os primeiros relatos de ocupação datam de antes de 200 D.C. quando romanos e gauleses já ocupavam a bela região. Porém Chinon conheceu seu apogeu na Idade Média, mais exatamente no século XV, quando a corte francesa exilada de Paris se refugiou na cidade. Nessa época, em 1429, Joana d’Arc encontra-se com aquele que seria o futuro Carlos VII, em Chinon, e concordam em atuar juntos para a recuperação do território ocupado pelos invasores ingleses.

Legado deste rico passado medieval, a fortaleza de Chinon e a antiga igreja de Saint-Mexme são os elementos mais importantes do património histórico da cidade. Mas a cidade também soube preservar o tecido urbano medieval, com as suas ruas estreitas e sinuosas, casas com paredes de madeira e suas mansões de pedra.

Vinho e Gastronomia
Chinon é a uma denominação de origem para vinhos franceses desde 1937. É também a primeira denominação de vinho tinto do Loire em volume, com uma produção de 15 milhões de garrafas por ano em média. As 3 variedades de uva aceitas pela denominação são: Cabernet Franc (mínimo 90%) e Cabernet Sauvignon (máximo 10%) para vinhos tintos e rosés e o Chenin (100%) para os vinhos brancos.

Os tintos representam 85% da produção de Chinon. A gama de estilos é bastante ampla: encontramos tanto vinhos claros e leves para serem consumidos jovens, como vinhos estruturados e poderosos, bons para guarda. Todos têm em comum a fruta, a frescura, e taninos relativamente suaves. No nariz: é um festival de frutas vermelhas e/ou pretas (morango, framboesa, cereja, groselha, amora preta, groselha preta), evoluindo pouco a pouco para as frutas cristalizadas (ameixas por exemplo), as especiarias doces (canela, baunilha, cardamomo) e até mesmo aromas terciários de couro e cogumelos para vinhos de guarda. Na boca: podem ser tanto suaves ou encorpados, mas sempre gerando sensações de enorme prazer, sejam eles simples ou sofisticados.

A gastronomia local é muito variada e vasta. As carnes de cordeiro se destacam assim como produtos derivados do porco como torresmos e patês. Come-se também muitos peixes graças à proximidade do rio Vienne. A lampréia e a enguia são peixes bem típicos e apreciados. O açafrão é um tempero típico da região e altamente cultivado nas proximidades de Chinon.  O queijo mais famoso é provavelmente o Selles-sur-cher, um queijo de leite de cabra coberto por uma fina camada de cinzas. E entre os doces mais típicos, está o Nougat de Tours, que é uma espécie de torta com geleia de damasco e recheio de amêndoas.

selles sur cher

nougat de tours

rillons touraine chinon saffran açafrao torresmo

A degustação vertical da paz
Fomos convidados para uma experiência única: uma degustação vertical de vinhos tintos de Chinon. Uma degustação vertical é quando tomamos vinhos de anos diferentes de um mesmo produtor ou região, e podemos comparar os diferentes resultados obtidos ao longo do tempo, a evolução desses vinhos em garrafa e apreciar as diferentes facetas que um vinho pode apresentar em função das diferentes variáveis climáticas de cada ano.

A degustação teve como principal tema os anos de paz: anos na história da humanidade que foram marcados por eventos que de alguma maneira simbolizaram a paz. Esse tema permitiu a seleção de 23 vinhos de Chinon, todos tintos feitos a partir da uva Cabernet Franc. A degustação aconteceu no Museu Le Carroi, na sala onde Carlos VII deu início a construção de seu exército em 1428, que seria posteriormente conduzido por Joana d’Arc na guerra de liberação de Orleans em 1429.

Nesse lugar mágico, carregado de enorme simbolismo e história, tivemos a oportunidade de degustar diversos vinhos tintos de Chinon: 1911, 1928, 1934, 1953, 1959, 1989… terminando com um vinho jovem de 2016. Muitas foram as surpresas durante essa incrível degustação. O 1911 da Domaine Dozon, representava o período de paz anterior a Primeira Guerra Mundial. Um vinho de mais de 100 anos! Ele se apresentava obviamente cansado após 107 anos em garrafa, porém com notas marcantes de aromas terciários como couro e cogumelos, mas principalmente uma acidez média que lhe dava equilíbrio e alguma vivacidade para um vinho que já havia deixado seu apogeu há muito tempo.

chinon degustaçao vertical vinho tinto

O destaque absoluto foi sem dúvida o 1959 da Domaine Philippe Richard que surpreendeu a todos pela sua frescura (após quase 60 anos em garrafa), seus taninos bem presentes ainda, com uma concentração alta de fruta e uma intensidade e persistência na boca que nos deixava incrédulos ao constatar sua qualidade excepcional. Todos os produtores presentes concordaram que 1959 teria sido provavelmente o melhor ano do século 20 para os vinhos de Chinon. Dentro do tema da paz, o 1959 representava o tratado da Antartida, com o qual a comunidade internacional, compromete-se a suspender suas pretensões sobre partes desse território por período indefinido, permitindo a liberdade de exploração científica do continente, em regime de cooperação internacional.

chinon degustaçao vertical vinho tinto

Outro destaque foi o 1989 da Domaine Bernard Baudry, ano marcado na história mundial pela queda do muro de Berlim. Esse vinho nos encantou pela alta concentração de frutas vermelhas e pretas bem maduras que criavam uma complexa textura na boca seguida de uma amplitude maravilhosa. E perto do fim ainda tivemos a chance de nos encantar pelo 2015 da Domaine de la Noblaie, que com taninos fortes e frutas intensas se mostrou um vinho com excelente potencial de guarda e evolução na garrafa. 2015, aliás, representava o acordo de paz assinado no Mali.

Essa degustação excepcional foi sem dúvida uma experiencia única e fabulosa que nos deixou ainda mais encantados pela já encantadora Chinon.

Navegando o rio Vienne e descobrindo a gastronomia local
E como se a degustação vertical não fosse suficiente para nos apaixonar por Chinon e seus vinhos, terminamos nossa visita a Chinon a bordo de uma gabare, embarcação típica do Vale do Loire. Dentro da embarcação nos esperava uma maravilhosa mesa repleta das mais deliciosas iguarias locais assim como algumas garrafas de vinho branco, feito a partir das uvas Chenin, um 1990 da Domaine de la Noblaie.
Degustamos os principais produtos típicos da região, como o açafrão local, os queijos de cabra, o famoso rillon, uma espécie de torresmo assim como a tradicional torta Nougat de Tours. O vinho já apresentava importante sinais de fatiga com seus mais de 28 anos, porém ainda assim nos acompanhou agradavelmente durante essa refeição magica sobre as aguas do rio Vienne.

rio vienne

degustação chinon branco chenin

chinon gastronomia

Era já hora de voltar a Paris e dizer adeus a Chinon, a contragosto, certo, mas com a certeza absoluta de voltar em breve.

Na sua próxima viagem a França, não deixe de visitar a linda região da Loire e incluir Chinon no seu roteiro. Ou melhor ainda, deixe que criemos esse roteiro para você! Saiba mais aqui: Roteiro sob medida de enoturismo no Vale do Loire 

Informações práticas:
Office de tourisme Azay-Chinon Val de Loire
Bureau d’accueil de Chinon
1 rue Rabelais
Téléphone : 02 47 93 17 85
Fax : 02 47 93 93 05
Email : tourisme@azay-chinon-valdeloire.com
Site Internet : www.azay-chinon-valdeloire.com

SIGA O GASTRONOMOS E TRAGA A GASTRONOMIA FRANCESA PARA O SEU FEED
 FACEBOOK
 INSTAGRAM